Seu lixo eletrônico pode virar um computador novo em folha

Acredicoop registra crescimento em cooperados e volume de ativos
03/08/2020
Nova lei permite acesso de mascotes a hospitais em Santa Catarina
07/08/2020

Moradores de Joinville e região têm até 30 de setembro para descartar de forma correta equipamentos como celulares, computadores e eletrodomésticos quebrados ou em desuso. A 2ª edição da Campanha de Lixo Eletrônico é uma ação de responsabilidade socioambiental promovida pelo Parque Hansen (antiga SER Tigre) e pelo Instituto Carlos Roberto Hansen (ICRH), que também vai beneficiar instituições sociais do município.

As doações serão recolhidas no Parque Hansen por meio de sistema drive-thru. Os itens devem ser entregues na guarita principal, que dá acesso ao parque, que fica na Rua Gothard Kaesemodel, 254, no bairro Anita Garibaldi, entre 6h e 22h.

Outro diferencial da campanha é que a cada 10 toneladas de resíduos coletados no Parque Hansen serão revertidas em um computador novo para alguma entidade social do município ou região. “A campanha atende a uma série de necessidades. Tiramos de circulação sucata ou lixo que não é lixo. Garantimos a reciclagem, com a separação de componentes e a destinação correta, e ainda beneficiamos algumas ONGs com o resultado”, ressalta o presidente do ICRH, Felipe Hansen.

“Essa ação pode gerar reflexos importantes no espaço urbano, onde o Parque Hansen está inserido com uma proposta de levar bem-estar as pessoas por meio de suas áreas verdes, lazer e eventos”, explica o diretor executivo do Parque Hansen, Luciano Coradi.

O QUE DESCARTAR?

Equipamentos como computadores, monitores, impressoras, rádios, televisores, aparelhos de telefone e celulares, aparelhos de fax, câmeras fotográficas, cabos e fios em geral e eletrodomésticos de pequeno porte. Pilhas e lâmpadas fluorescentes não serão aceitas na campanha.

SUSTENTABILIDADE

Todos os equipamentos serão recolhidos pela Weee.do, de Palhoça, especializada em reciclagem de eletrônicos. O diretor executivo da empresa, Mark Jacobowitz Rae, reforça a importância da destinação adequada desses materiais, já que os resíduos eletroeletrônicos possuem, em sua composição, uma série de componentes e substâncias tóxicas que prejudicam a saúde e o meio ambiente.

“Após a coleta, realizamos a triagem e a seleção dos equipamentos que podem ser reaproveitados. Todos são destinados a ações sociais. Aqueles materiais que não possuem esta alternativa são encaminhados para linha de desmanche, onde segregamos os diferentes componentes, como ferro, plástico e alumínio para reciclagem”, explica Rae.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.