Os novos hábitos em tempos de pandemia e isolamento social

Crise-coronavírus já causa 34 mil demissões em Joinville
23/04/2020
O relato do jornalista que foi pego pelas restrições da pandemia em viagem ao Peru
28/04/2020

Foto do POS POS no Unsplash

Foto: POS POS/Unsplash Trabalho remoto, em casa, é uma nova realidade no dia a dia das empresas

 

O isolamento social, em tempos de pandemia, tem provocado mudanças significativas no comportamento das pessoas. Se antes do isolamento, o trabalho remoto e até as compras online eram vistas com uma certa desconfiança, hoje essas práticas são uma realidade e indicam a chegada de uma nova era. Na avaliação de CEOs e diretores de startups e empresas catarinenses, alguns hábitos terão continuidade tanto por parte das instituições quanto dos consumidores.

O trabalho remoto é um deles. Carina Dallabrida, analista de DHO da Unifique, operadora de Timbó, no Médio Vale do Itajaí, eleita a melhor do país em banda larga pela Anatel em 2019, afirma que o home office se provou eficiente. “Já cogitávamos o modelo antes mesmo da pandemia, mas tivemos que acelerar o processo. Foi um grande desafio, mas conseguimos, em apenas 10 dias, direcionar quase todos os nossos profissionais ao trabalho remoto”, afirma.

Outro setor impactado pelo isolamento social foi o de ensino. No mundo inteiro, universidades e empresas trocaram aulas, eventos e treinamentos presenciais pelo ensino a distância, webinars, calls online e outras práticas digitais. Recentemente, um estudo de mercado realizado pela consultoria americana Bain & Company apontou que essa explosão de demanda deve se manter em alta no longo prazo.

Inúmeras tecnologias já permitem fazer treinamentos em grande escala, com alto potencial de engajamento dos colaboradores e bons resultados relacionados ao aumento da produtividade. A principal delas é a Plataforma de Experiência de Aprendizagem, ou LXP (sigla em inglês), que permite à empresa personalizar a educação dos funcionários.

Segundo Luiz Alberto Ferla, fundador e CEO da empresa de educação digital DOT Digital Group, a ferramenta tem ganhado cada vez mais espaço no ambiente corporativo: “A educação a distância dá ao profissional maior flexibilidade para estudar a hora e no local que quiser, pelo dispositivo que preferir, e autonomia para escolher os conteúdos para se desenvolver de acordo com seus objetivos. É um investimento com retorno garantido”, destaca.

A automação de processos financeiros também ganhou força nas últimas semanas, visto que pode agilizar procedimentos internos, reduzir custos e substituir metodologias de baixa eficiência organizacional. “Atividades manuais, como o pagamento de fornecedores, têm grandes chances de apresentar falhas, mas com um software que faz isso e valida as contas favorecidas, tudo fica mais fácil e seguro”, explica Guilherme Verdasca, CEO da Transfeera, startup joinvilense de open banking de gestão e processamento de pagamentos.

VENDAS ELETRÔNICAS GANHAM FORÇA

E no que diz respeito às experiências de compra? Os e-commerces (comércios eletrônicos) ganharam força com o isolamento social e investir em soluções que ofereçam uma experiência de compra mais rica, diferenciada e assertiva é a busca dos empreendedores do setor. “Digitalizar os produtos em 3D e utilizar realidade aumentada, por exemplo, possibilita que o usuário tenha uma visualização muito mais real do seu catálogo, aumentando a taxa de conversão e a satisfação do cliente”, comenta Gustavo do Valle, CEO da CreativeDrive, produtora global de fotos e vídeos que atua no Brasil com soluções de tecnologia.

A comunicação virtual é outro caminho explorado e prefeituras de cidades como Americana (SP), Atibaia (SP) e Aracaju (SE) já implantaram o atendimento 100% digital junto à população. Para Jéferson Castilhos, cofundador da 1Doc, de Florianópolis, plataforma em nuvem de comunicação interna, tarefas, atendimento e gestão documental, o processo digital é um caminho natural a ser seguido. “Em época de restrições de contato, a transformação digital ganha força. Sem digitalização dos serviços, o setor público fica extremamente prejudicado”, diz Castilhos.

Para Marcelo Fett, diretor de Relações com o Mercado da Softplan, uma das maiores empresas de software do Brasil, o cenário atual evidenciou a necessidade de acelerar a jornada da transformação digital em toda a sociedade, inclusive nos governos. “O cidadão quer que o poder público simplifique e agilize os processos, tornando a gestão verdadeiramente eficiente”, ressalta.

É importante lembrar que, com as pessoas em casa, os serviços de entrega também se fortaleceram e se tornaram imprescindíveis na efetivação dos negócios. “O setor de entregas de produtos foi impulsionado como nunca antes”, avalia Jonathan Pirovano, CEO da Motoboy.com, startup joinvilense especializada em entregas ultrarrápidas – realizadas em até 2 horas – em mais de 100 cidades brasileiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *