Edições



Com a edição 15, Francisca fecha este ano tão complicado trazendo uma reportagem que alerta para a importância de manter os cuidados de praxe durante a temporada que vem aí. A expectativa é de um fluxo ainda maior de veranistas fazendo pequenas viagens e dando preferência às praias da região. Leia também uma entrevista com o empreendedor social Roberto Pascoal, da OMUNGA, um material especial sobre os carroções que levavam progresso à Serra Dona Francisca no final do século 19 e um bate-papo com o artista plástico Juarez Machado, feito em 2003 e até hoje inédito.



A edição 14 da Francisca aborda, na reportagem de capa, a volta gradual à normalidade – rumo a um “novo normal” – na rotina das famílias. Especialistas dão dicas sobre como os pais podem reduzir a ansiedade e a insegurança inerentes a este momento, no dia a dia que foi tão impactado pela pandemia. “Com um novo afastamento, podem surgir medos como de se separar dos pais ou dos cuidadores, aumento do choro, irritabilidade, e até mesmo a negação ao retorno escolar”, sublinha a psicóloga Lilian Ost. Também sobre crianças, você vai ler uma crônica sobre as enormes transformações que a maternidade produz, e que começam muito antes do nascimento. Um artigo sobre as origens do hábito de lavar as mãos associado à saúde, uma reportagem escrita por estudantes de Jornalismo sobre o papel dos programas sociais na inclusão pela educação, um perfil do artista plástico Rogério Negrão, elaboratdo pela jornalista especializada Néri Pedroso, e mais um pacote de entrevistas com prefeituráveis – desta vez, de São Francisco do Sul e Araquari –, completam o cardápio da Francisca #14.



Edição 13 da Francisca apresenta os 15 candidatos à prefeitura de Joinville, em uma série de entrevistas. Conversamos com eles (e elas) sobre suas plataformas nas áreas de educação, saúde e cultura. O que teriam feito diferente do atual prefeito se estivessem à frente da gestão neste ano de pandemia? Como pretendem buscar apoio dos governos estadual e federal para as obras estruturais de que o município precisa? Em 14 páginas, as respostas dos prefeituráveis, em uma campanha incomum, que terá menos contato direto com o eleitorado e maior presença das mulheres. Leia também reportagens sobre os seis meses de combate ao coronavírus em Joinville e o papel da Sociedade Kênia, que acaba de completar 60 anos como foco de resistência, no debate racial e na valorização da cultura afro.



A edição 12 da Francisca é muito especial. Marca o primeiro aniversário da publicação e se propõe a seguir pensando Joinville e região – sempre com novos olhares. Você vai ler reflexões sobre as vocações e carências da nossa cidade, escritas por diferentes profissionais – e de áreas diversas, da mobilidade urbana à educação, da saúde e segurança aos direitos LGBT+, da cultura à economia. Saudada como um “farol” por ninguém menos que o professor Samuel Lima, coordenador da Pós-Graduação da UFSC, Francisca traz também belíssimo trabalho do escritor Donald Malschitzky, mostrando um pouco da herança dos colonos da região do bairro Aliança, na serra Dona Francisca. Aliás, subindo a serra, em Campo Alegre, fica a Cascata Paraíso, um dos destinos sugeridos pelo casal gaúcho Fernando Broliato e Isabel Perondi, que viajam de carro por todo o Sul brasileiro e São Paulo. E você não pode perder novas imagens de Joinville pelas artísticas e sensíveis lentes de fotógrafos convidados.



A 11ª edição da Francisca dedica a reportagem de capa aos brasileiros maiores de 65 anos, faixa mais vulnerável ao novo coronavírus. Fomos conferir como essas pessoas estão encarando o duro isolamento social decorrente da pandemia, com o apoio das famílias e a iniciativa das casas de longa permanência de idosos que buscam alternativas para amenizar a restrição de visitas. Também na Francisca #11 outro efeito da pandemia: o aumento da procura pela companhia de animais de estimação. Uma reportagem sobre os 50 anos da Escolinha de Artes Infantis da Casa da Cultura de Joinville e uma reflexão sobre a inclusão pelo fazer artístico são destaques, ainda, desta edição.



Francisca chega ao número dez com uma reportagem especial que fala de vidas interrompidas pela negligência e pela imperícia no trânsito. Conheça as histórias da fotógrafa Vanessa Vieira, de Joinville, e da funcionária pública Marta Ribeiro. Acompanhe, também, um apanhado com estatísticas de acidentes nas ruas e estradas da região, no contexto do isolamento social. A revista traz, ainda, casos de empresas que, à base de criatividade e dedicação, têm conseguido driblar a crise gerada pelo novo coronavírus, e dá uma olhada nas perspectivas para o Joinville Esporte Clube neste ano tão incomum. Artigos de convidados refletem sobre direitos humanos na pandemia, a luta antirracismo, saudades, alimentação e geração de lixo.



Em maio, Francisca conversou com professores, pais e alunos sobre o desafio que todos têm vivido com a pandemia do novo coronavírus, que literalmente transportou as salas de aula para a sala de casa. Artigo do historiador Dilney Cunha viaja no tempo aos idos de 1918 para mostrar como Joinville reagiu à "gripe espanhola", que causou milhares de mortes. Outro texto exclusivo, do infectologista Luiz Henrique Melo, traça os possíveis cenários pós-pandemia, e uma entrevista com a jornalista joinvilense Eunice Venturi aborda o trabalho na área ambiental na Região Norte do Brasil.



Na edição de abril da Revista Francisca, o destaque não poderia ser outro: coronavírus é o eixo das reportagens principais do mês, abordando como Joinville se mobilizou para combater a pandemia. Leia também como os artistas locais estão se reinventando para manter os laços com o público e a visão de joinvilenses que moram no exterior sobre como estão lidando com este período tão desafiador para todo o planeta. Na edição, outra matéria fala dos 20 anos da Escola Bolshoi do Brasil em Joinville.



Na edição de março, que está disponível somente nesta versão online, Francisca traz reportagem de capa sobre a onda das corridas de rua em Joinville. Textos exclusivos do escritor Jura Arruda, sobre a expedição da ONG Omunga, e da jornalista Néri Pedroso, sobre o panorama das artes plásticas em Joinville, também são destaques deste mês.



A edição número 6, que abre o ano de 2020, traz na capa uma reportagem sobre os caminhos da ressocialização de ex-apenados. Também na Francisca um passeio pelas riquezas do interior joinvilense, reflexões sobre feminismo & feminino e inovação social e a onda dos discos em vinil.



Francisca fecha o ano com uma reportagem de capa que apurou o trabalho de universidades, corporações e órgãos públicos em torno do modelo das Cidades Inteligentes como referência para o desenvolvimento urbano de Joinville. Também traz entrevistas com o novo reitor da Univille e com o maestro que idealizou o Femusc, entre outras pautas de interesse para o joinvilense.



Edição de novembro apresenta um roteiro pelas cinco praias que mais atraem joinvilenses na temporada de verão: saiba o que vem por aí. Leia também a segunda parte da reportagem especial sobre abuso sexual contra crianças e uma crônica sobre os ipês que encantam a nossa cidade.



Em reportagem especial, Francisca aborda a delicada teia de proteção social criada para combater a violência sexual contra crianças. Também na edição de outubro, o impacto da industrialização na economia de Araquari, cinco anos depois da chegada da BMW.


Na edição de setembro,
subimos a Serra Dona Francisca para mostrar as condições da Estrada, carecendo de manutenção. Também falamos de música, pets e Setembro Amarelo.


Meu nome é Francisca
Funcionaria publica, médica, advogada. Elas têm o nome da princesa que virou ícone e contam sua história de vida para marcar a estreia da revista.


A edição piloto da Francisca traz como destaque uma entrevista exclusiva com o cantor Djavan, falando de flores.