Catarinenses são repatriados com o auxílio do governo do Estado

Grupo de trabalho vai discutir demandas do setor cultural de SC
28/05/2020
Acredicoop lança campanha para valorizar comércio local
28/05/2020

Desde o início da pandemia, o governo de Santa Catarina atua para trazer de volta catarinenses que não conseguiram retornar ao estado. Até o momento, cidadãos já foram repatriados e outros 34 estão recebendo auxílio da Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais (SAI) para retornar ao país, conforme dados atualizados nesta semana.

O secretário executivo da Articulação Internacional, Derian Campos, explica que o governo do Estado tem atuado em parceria com outros órgãos, especialmente do governo Federal, para agilizar o processo de repatriação. Ele salienta que a rapidez é fundamental em um período como esse.

“Vivemos um momento bastante turbulento em todo o mundo. Em situações como essa, os cidadãos buscam a segurança de seus lares. O trabalho da SAI tem ajudado muitos catarinenses. A maioria se viu em condições complicadas e nos procurou. A agilidade é essencial e buscamos dar todo o apoio necessário para quem nos procura”.

O retorno para casa dos catarinenses é resultado do trabalho conjunto entre a SAI, o Ministério de Relações Exteriores e o corpo consular. Governos de diversos países estabeleceram restrições com objetivo de reduzir as chances de contaminação do novo coronavírus. Mas o fechamento de fronteiras terrestres e exigências de atestados sanitários, a redução de frequência de voos comerciais e a desvalorização do real tornaram a necessidade de repatriação de catarinenses mais urgente.

Caso algum catarinense precise de auxílio, a SAI está disponível no telefone (48) 98801-6570.

Confira alguns exemplos de catarinenses que retornaram para casa com a ajuda da SAI:

Estados Unidos – Com dificuldade em achar voos para retornar a Santa Catarina, a mãe de um menor de idade entrou em contato com a SAI. A companhia aérea que vendeu a passagem havia suspendido as operações de voos durante a pandemia e adiado a saída em mais de dois meses. Sem condições de manter o filho no exterior por um período tão prolongado, a mãe precisava de ajuda. A Secretaria buscou companhias áreas que mantiveram operações no trecho para Brasil e auxiliou na realocação da passagem. Com apoio em todo processo de repatriação, foi possível viabilizar seu retorno a Santa Catarina no dia 8 de maio.

Chile – Um pequeno grupo procurou a Secretaria com dificuldades para retornar ao estado em função do cancelamento dos voos entre os dois países. Em contato com Consulado brasileiro naquele país e com companhias aéreas ativas, a SAI conseguiu alocar os catarinenses na reserva de um voo comercial que foi disponibilizado excepcionalmente para trecho do Brasil. Eles voltaram no dia 15 de maio.

Bolívia – Há diversos brasileiros que fazem faculdade de medicina e enfermagem na Bolívia. Com o agravamento da disseminação do novo coronavírus na América do Sul, as autoridades bolivianas restringiram o trânsito das suas fronteiras terrestres, deixando passagem somente de veículos autorizados. Consequentemente, muitos estudantes ficaram desamparados e sem condições de voltar. Alguns deles entraram em contato com o plantão da SAI e pediram um auxílio na repatriação. Após tramitação de ofício no Ministério das Relações Exteriores e articulações com a Embaixada do Brasil na Bolívia, tornou-se possível a organização do retorno. Uma estudante de Enfermagem de Gaspar chegou no estado dia 9 de abril, outros quatro estudantes de Chapecó e Balneário Camboriú, no dia 23 de abril, e mais quatro pessoas no dia 3 de maio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *