Animais de estimação levam alegria ao ambiente hospitalar

Julho é o mês de combate ao câncer de cabeça e de pescoço
08/07/2022
Ajude a transformar o Kênia Clube em Patrimônio Imaterial de Joinville
19/07/2022
Lei estadual de 2020 permite o ingresso de animais domésticos e de estimação em todos os hospitais privados e públicos de Santa Catarina. No dia 8 de julho, uma paciente do Hospital São José, de Joinville, recebeu a visita de seu cãozinho, chamado Mel. A equipe multidisciplinar que atende a UTI do hospital viabilizou a ação, que alegrou e emocionou profissionais, familiares e, principalmente, a paciente Marilene Brasil Martins. .
Em 2021, Marilene, de 53 anos, ficou internada no São José entre os meses de maio e outubro para tratamento de Covid-19. No período, ficou dois meses na UTI, foi intubada, sofreu três paradas cardiorrespiratórias, mas se recuperou e voltou para casa. Porém, no mês passado, teve novas complicações, e precisou retornar para a UTI do São José, onde permanece internada.

Em conversa com a equipe, os familiares relataram que Marilene é muito apegada aos seus cachorrinhos e que estava sentindo falta dos pets. Foi aí que surgiu a ideia da surpresa especial.

“Avaliamos que a paciente estava estável, com condições de ser deslocada a um ambiente externo da UTI. O médico responsável liberou. Também verificamos se o animal estava com a vacinação em dia, se era dócil, e se era desejo da família trazê-lo para a visita”, relata a enfermeira Maria Rita Andrade de Lemos, coordenadora da UTI. O resultado da surpresa foi realmente o esperado: “Ela ficou muito feliz e, para a nossa equipe, foi gratificante”, lembra Maiara.

A satisfação também foi compartilhada pelo marido da paciente, o técnico de manutenção eletroeletrônica Armando Tadeu Martins. “Os olhos dela brilharam. A Mel ficou um pouco assustada, mas depois ficaram juntas por quase meia hora, com muita alegria. Na última semana a Marilene estava um pouco triste, ansiosa, mas encontrar a Mel a deixou mais animada.”

Protocolo rigoroso

A entrada dos pets em hospitais deve seguir algumas regras estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tais como verificação da espécie do animal, autorização expressa emitida pelo médico que acompanha o paciente internado, laudo veterinário atestando boas condições de saúde do animal e carteira de vacinação atualizada, visível aparência de boas condições de higiene, equipamento de guia (no caso de cães) e local adequado para receber a visita em ambiente interno ou externo.
De acordo com o médico intensivista do Hospital São José, Rodrigo Cordeiro, as condições clínicas do paciente também devem ser avaliadas. “São selecionados pacientes com internação prolongada, sem instabilidade e não conectados a respiradores permanentemente, pacientes lúcidos e que podem ser deslocados com auxílio da equipe”, explica.

Para o médico, a visita do animal de estimação é uma das formas de promover a humanização dos cuidados, proporcionando ao paciente uma experiência diferente do dia a dia vivido no ambiente hospitalar. “Observa-se a melhora do humor, mais ânimo e motivação que ajudam o paciente a seguir o tratamento e se recuperar”, afirma o médico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.