9 programas bacanas para aproveitar em Joinville no fim de semana

Centrinho Luiz Gomes ganha nova cabine para exames auditivos
22/08/2019
7 opções de entretenimento para o fim de semana em Joinville
30/08/2019

1 – “Entrelace”
O quê: No espetáculo “Entrelace”, da Cia. de Dança Xirê (Rio de Janeiro), os movimentos se desenvolvem numa dinâmica que envolve e enlaça o público, sempre partindo de jogos populares tradicionais e de parlendas infantis. Assim, a plateia é convidada ao encontro com o outro e a perceber, durante a performance, sutis espaços de relação e convivência. Entre uma brincadeira e outra, o público identifica a dança em lugares onde antes havia apenas o jogo e nas passagens dos momentos coreográficos reaviva-se a memória das brincadeiras que fazem parte do repertório de cada um de nós.
Quando: sexta (23), às 20h, no Sesc Joinville.
Quanto: gratuito.

2 – Metal ao piano
O quê: O pianista curitibano Bruno Hrabovsky é bem conhecido do público de Joinville, para quem tocou várias vezes suas versões ao piano de clássicos do cancioneiro roqueiro. Desta vez, seus arranjos miram o heavy metal de variados tons, desde nomes como Black Sabbath, Judas Priest e Iron Maiden até Slayer, Metallica, Nine Inch Nails, Korn e System of a Down.
Quando: sexta (23), às 20h30, no Teatro Juarez Machado.
Quanto: $ 40 (inteira).

3 – Trio Babitonga
O quê: Formado por músicos joinvilenses, o Trio Babitonga se apresenta na Zeit Cervejaria ao lado do saxofonista Gledison Zabote, diretor da Joinville Jazz Biga Band. O grupo leva aos palcos uma fusão da rítmica brasileira, da música latina e do jazz. Inspirado na natureza, especialmente na Baía da Babitonga, o trio vem agregando ao seu repertório desde 2018 músicas autorais, como O Guará, Ilha das Flores, Vista da Lagoa, Retrato e outras.
Quando: sexta (23), às 21h, na Zeit Cervejaria, Av. Edgar Nelsom Meister, 282 , Zona Industrial.
Quanto: R$ 20 (antecipado) R$30 (na hora).

https://www.youtube.com/watch?v=WLfD2JqR69w
https://www.youtube.com/watch?v=PGXpswawDRY

4 – Leia Mulheres
O quê: A energia do mundo das artes e movimentos radicais nos anos 70. É o que promete a leitura do mês de agosto do clube literário joinvilense neste fim de semana. O livro da vez é “Os lança-chamas” (2013), da escritora americana Rachel Kushner, que propõe uma investigação intensa e envolvente sobre a mística do feminismo, da arte e do terrorismo. Também disseca noções de classe, gênero e modernidade num romance onde, no centro de tudo, está uma jovem mulher vivendo no limite. O livro foi um dos finalistas do National Book Award de 2013 e escolhido como um dos cinco melhores romances do ano pelo New York Times.
Quando: sábado (24), às 15h, no galpão da Aaplaj (Cidadela Cultural).
Quanto: gratuito.

5 – Fotografia
O quê: “Concreta”, exposição da fotógrafa e professora Fernanda Pozza, é resultado da investigação da cidade como uma paisagem concreta, por meio da qual ela capta fragmentos tratados como elementos plásticos. Depois de uma primeira mostra sobre o tema, em 2016, ela deu continuidade à pesquisa, que resultou nesta segunda leva de imagens. Segundo a curadora Alena Marmo, “as fotos que compreendem a mostra revelam a presença sólida, palpável e real da cidade captada em fragmentos, de forma que o tema seja sucumbido por sua existência concreta. Existência esta que ganha uma versão plástica por meio de recortes inusitados, pela exploração de ângulos incongruentes, e de diferentes cores e texturas, tudo fruto da luz natural, das sombras projetadas, das sujeiras das fachadas, das intempéries, e da ação do tempo.”
Quando: abertura sábado (24), às 16h, até 7 de setembro, na Galeria 33 (rua Bento Gonçalves, 33).
Quanto: gratuito.

6 – Mariá Mond (foto no alto)
O quê: A rapper joinvilense apresenta o show “Soul/OITO”, no qual apresenta o repertório de seu primeiro disco solo, “Oito”. São oito faixas, numa roupagem mais moderna, variando do trap ao lo-fi. O show traz experiências de sentimentos como depressão, medo, ascensão, feminismo, amor, dor, representatividade, sexo e traumas. Mariá Mond integra o grupo S.K.I, que já abriu para Projota e Flora Matos. Ele ganhou notoriedade quando lançou, em 2017, seu rapbox da música “Sei meus fins”, postada em um dos maiores canais sobre rap nacional.
Quando: sábado (24), às 20h, no Sesc Joinville.
Quanto: gratuito.

7 – Contação de histórias
O quê: Tem história que é da Bahia, tem do Rio Grande do Sul também. Vai para Tocantins, desce para o Paraná, segue o bordado em Minas Gerais. Tudo alinhado feito colcha de retalhos de avó. “Brasil Pequeno Itinerante” é um espetáculo de Teatro de Bonecos em Miniatura que fala de pessoas que a atriz Genifer Gerhardt, de Porto Alegre, encontrou em viagens pelo Brasil.
Quando: domingo (25), às 14h, no Sesc Joinville.
Quanto: gratuito.

8 – UTC
O quê:
Apresentado pelo elenco do canal Castro Brothers, com 3,5 milhões de inscritos, o UTC (Ultimate Trocadilho Championship) é um campeonato de piadas e trocadilhos, realizado no formato mata-mata. Na versão para o teatro, outros jogos e quadros, além do UTC (e que também compõem o canal), são apresentados ao vivo, sem roteiro, no improviso. Formam o elenco Marcos Castro, Ed Gama, Fred Mascarenhas, Luciana D’Aulizio e Rafael Studart.
Quando: domingo (25), às 19h30, no Teatro Juarez Machado.
Quanto: de R$ 70 a R$ 100.

9 – “Cantos do Desamor”
O quê
: A exposição “Cantos do Desamor – Poemas e Ilustrações” é resultado da doação ao acervo do Instituto Internacional Juarez Machado de mais de uma centena de obras originais assinadas pela artista brasileira/polonesa Heliana Grudzien. Produzidas nos ateliês da pintora nas cidades de Varsóvia e Cracóvia na Polônia, todas as 122 obras ilustram os poemas da poeta, historiadora e crítica de arte Adalice Araujo (1931- 2012) que atuou no movimento cultural do Paraná. Fruto de correspondências trocadas entre a escritora no Brasil e a pintora na Polônia, resultou na edição do livro “Cantos do Desamor”, editado na década de 1990 nos dois países contando ainda com a apresentação do poeta catarinense Lindolf Bell (1938-1998). A mostra reserva um capítulo inteiro dedicado aos catarinenses poeta Cruz e Sousa, o cineasta Silvio Back, Juarez Machado, Elke Hering e o próprio Lindolf Bell.
Quando: até 27 de outubro, no Instituto Juarez Machado.
Quanto: R$ 8 (inteira), gratuito às quartas-feiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.